4-0-3
 
 
Página Inicial  

Pesquisar pelo Site:

Oriente-se
Empresas
Imóveis
Turismo
 
 



 

Lucro da Caixa cresce 81,8% no primeiro trimestre deste ano



A Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre deste ano, com crescimento de 81,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o balanço divulgado pela instituição, o aumento do lucro líquido foi gerado pelo crescimento das receitas com operações de crédito, diminuição nas despesas com captação de recursos, avanço nas receitas com prestação de serviços e controle das despesas com pessoal, administrativas e operacionais.

O índice de inadimplência encerrou o trimestre em 2,83% com redução de 0,7 p.p em 12 meses, permanecendo abaixo da média de mercado de 3,84%, segundo o banco.

Ao final de março, a Caixa possuía R$ 2,2 trilhões em ativos administrados, com destaque para seus ativos próprios, que totalizaram R$ 1,3 trilhão, avanço de 3,2% em 12 meses. O índice de Basileia encerrou o período em 13,6%, acima do limite regulamentar de 10,5%. Esse percentual indica a capacidade do banco de emprestar, levando-se em consideração os recursos próprios e a ponderação de riscos.

Lucro líquido

A carteira de crédito alcançou saldo de R$ 715,0 bilhões, crescimento de 4,5% em 12 meses e participação de 22,8% no mercado. “O crescimento das operações de habitação, saneamento e infraestrutura, e crédito consignado, foram os principais responsáveis pela evolução da carteira no período”, diz a Caixa, em nota.

A carteira imobiliária, principal segmento de crédito da Caixa, alcançou saldo de R$ 412,9 bilhões, aumento de 6,0% em 12 meses. Esse salto representa 67,5% do mercado. As operações de saneamento e infraestrutura apresentaram saldo de R$ 78,9 bilhões, avanço de 8% em 12 meses.

As operações comerciais com pessoas físicas e pessoas jurídicas totalizaram R$ 189,6 bilhões, redução de 4,1% em 12 meses, impactadas, principalmente, pelo segmento pessoa jurídica, que apresentou queda de 7,8%.

As receitas com prestação de serviços cresceram 13,7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, totalizando R$ 6,0 bilhões. Os principais destaques foram as receitas de crédito, administração de fundos de investimento e convênios e cobrança que cresceram, respectivamente, 21,6%, 19,1% e 17,3% em 12 meses.

As outras despesas administrativas diminuíram 1,8% em comparação ao primeiro trimestre de 2016, segundo a Caixa, reflexo de ações focadas na melhoria da eficiência operacional. As despesas de pessoal foram impactadas pelo Plano de Demissão Voluntária Extraordinária e cresceram 17,2%. Sem esse efeito, segundo o banco, as despesas de pessoal aumentariam 6,1%.

Andreia Verdélio
da Agência Brasil

24.05.17 18:40

Outras Notícias:  
17.11.17 17:33 Economia deve continuar crescendo, ainda que ...
17.11.17 17:30 No Brasil, falta trabalho adequado para 26,8 ...
17.11.17 17:28 Pretos ou pardos são 63,7% dos desocupados no país
17.11.17 17:25 Banco Central alerta sobre riscos do uso das moedas virtuais
16.11.17 10:39 Inflação pelo Índice Geral de Preços cai de 0,49% para 0,24%
16.11.17 10:37 Cartão de loja é o tipo de crédito que mais l...
14.11.17 15:37 Vendas do comércio crescem 0,5%, diz pesquisa do IBGE
13.11.17 20:38 Para onde vai o 13º salário
13.11.17 11:12 Mercado eleva para 3,09% projeção da inflação este ano
13.11.17 11:08 Reforma trabalhista amplia horizontes para qu...
 
Anterior [1/1049] Próximo
Copyright © Vida Econômica - É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Power by Sistema agencianaweb.com.br