4-0-3
 
 
Página Inicial  

Pesquisar pelo Site:

Oriente-se
Empresas
Imóveis
Turismo
 
 



 

Taxa média de juros cobrada do brasileiro caí para 135,53% ao ano em dezembro

Receita explosiva de juros elevados para a economia e as finanças pessoais


A taxa média geral de juros ao consumidor caiu de 7,40% ao mês ou seja, 135,53% ao ano em novembro para 7,33%, isto é, 133,70% ao ano em dezembro, segundo a pesquisa de juros da Anefac, realizada pelo diretor da entidade e nosso âncora Miguel José Ribeiro de Oliveira.

Apesar de ser a décima terceira redução consecutiva e a décima quarta em dois anos, os juros ao consumidor continuam extremamente elevados, isto é, uma receita explosiva para a economia e as finanças pessoais do brasileiro, que já sofre as consequências da maior crise da história econômica do país.

Das seis linhas de crédito, todas reduziram reduziram as taxas de juros no mês de dezembro. Confira.


A pesquisa atribui esse resultado à redução da Taxa Básica de Juros (Selic) de 7,5% para 7% promovida pelo Banco Central na última reunião e tem a expectativa de novas reduções da Selic diante da redução inflação.

A pesquisa analisa o descompasso gigantesco entre a taxa de juros cobrados ao consumidor e a Selic.

- Considerando todas as elevações e reduções da taxa básica de juros (Selic) promovidas pelo Banco Central desde março/2013, tivemos neste período (março/2013 a dezembro/2017) uma redução da Selic de 0,25 ponto percentual (redução de 3,45%) de 7,25% ao ano em março/2013 para 7,00% ao ano em dezembro/2017.

- Neste período, a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 45,73 pontos percentuais (elevação de 51,98%) de 87,97% ao ano em março/2013 para 133,70% ao ano em dezembro/2017.

- Nas operações de crédito para pessoa jurídica houve uma elevação de 19,69 pontos percentuais (elevação de 45,18%) de 43,58% ao ano em março/2013 para 63,27% ao ano em dezembro/2017.

Perspectivas

Nosso âncora Miguel Ribeiro de Oliveira também demonstra na pesquisa de juros as perspectivas para os próximos meses.

- A partir de outubro/2016, o Banco Central começou a flexibilizar sua politica monetária com a redução da taxa básica de juros (Selic). Tendo em vista a melhora das expectativas quanto á redução da inflação, bem como na melhora fiscal, deveremos ter novas reduções da taxa básica de juros, o que reduz o custo de captação dos bancos possibilitando novas reduções das taxas de juros nas operações de crédito.

Pessoa Jurídica

Das linhas de crédito para empresas, todas reduziram suas taxas de juros no mês. A taxa de juros média geral para pessoa jurídica foi reduzida de 4,22% ao mês (64,22% ao ano) em novembro de 2017 para 4,17% ao mês (63,27% ao ano) em dezembro. A taxa deste mês é a menor desde outubro/2015 (4,16% ao mês – 63,08% ao ano). Confira.


Para receber a íntegra da pesquisa de juros da Anefac, coordenada pelo nosso âncora, e tirar quaisquer dúvidas sobre o tema, envie seu pedido para ideia@vidaeconomica.com.br

12.01.18 16:02

Outras Notícias:  
12.01.18 16:02 Taxa média de juros cobrada do brasileiro ca...
12.01.18 09:55 Standard & Poor’s rebaixa Brasil para três ní...
11.01.18 16:55 Maior administradora de consórcio do setor co...
10.01.18 17:30 Deflação dos alimentos fez inflação ficar aba...
10.01.18 17:22 Inflação oficial pelo IPCA em 2017 é de 2,95%...
09.01.18 10:39 Governo desiste de flexibilizar regra de ouro
08.01.18 11:29 Entrada líquida de recursos na poupança tem m...
08.01.18 11:15 Mercado financeiro espera que inflação encerre 2018 em 3,95%
06.01.18 15:48 Adesão ao eSocial para empresa que fatura mai...
06.01.18 15:37 Temer veta integralmente Refis das micro e pequenas empresas
 
Anterior [2/1058] Próximo
Copyright © Vida Econômica - É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Power by Sistema agencianaweb.com.br