4-0-3
 
 
Página Inicial  

Pesquisar pelo Site:

Oriente-se
Empresas
Imóveis
Turismo
 
 



 

Ipea: crescimento da economia desacelera, mas retomada continua



A expansão econômica ficou um pouco abaixo do esperado nos últimos meses, avaliou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), na edição da Visão Geral, da Carta de Conjuntura. Por isso, o Ipea admitiu que revisará a projeção para o crescimento da economia, este ano.

Em março, o Ipea divulgou projeção de crescimento de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, para o primeiro trimestre de 2018. Para o ano, a estimativa ficou em 3%.

“Os dados disponíveis de atividade econômica permitem prever que o resultado do Produto Interno Bruto no primeiro trimestre deve vir inferior ao que era esperado na última Visão Geral da Conjuntura, divulgada em março de 2018. Esse fato deve ensejar uma revisão da nossa previsão pontual de crescimento para este ano, sem alterar de forma substancial, porém, a expectativa de continuidade do processo de reversão cíclica gradual”, diz o Ipea.

Para o órgão, o principal impulsionador de crescimento econômico atual é o ciclo de reduções da taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano, o menor nível histórico. “Os indicadores de atividade econômica que têm reagido mais fortemente são justamente aqueles que sofrem influência mais direta das taxas de juros e da oferta de crédito – em particular, os setores de bens de capital e de bens de consumo duráveis”, diz o instituto.

Mercado de trabalho

Segundo o Ipea, a “recuperação relativamente lenta da atividade econômica transparece também nos dados de mercado de trabalho”. “A taxa de desocupação, calculada com dados ajustados para a sazonalidade, vem mantendo-se praticamente estável nos últimos três trimestres, girando em torno de 12,5% – patamar ainda muito alto. Além disso, observou-se desaceleração da taxa de crescimento da população ocupada, que passou de 2,1% no trimestre móvel encerrado em janeiro, ante a igual trimestre do ano anterior, para 1,8% em março”, destacou. O Ipea lembrou ainda que “parte significativa dos empregos que estão sendo gerados refere-se ao setor informal, o que é normal para períodos iniciais de retomada”. “Entretanto, empregos formais também estão sendo gerados – como comprovado pelos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados”, acrescentou.

Kelly Oliveira
da Agência Brasil

16.05.18 10:08

Outras Notícias:  
21.05.18 18:58 Dólar fecha em queda de 1,35% após seis altas seguidas
21.05.18 18:50 Governo ainda estuda redução de impostos sobre combustíveis
21.05.18 18:39 Mercado aumenta estimativa de inflação para 3,5%, este ano
18.05.18 20:51 Alta do dólar impacta setores da economia
18.05.18 16:28 Pena de José Dirceu começará a ser cumprida ...
18.05.18 16:18 Moreira Franco: preço da gasolina sobe demais...
18.05.18 16:14 Subutilização da força de trabalho atinge 27,...
17.05.18 10:43 Entidades empresariais criticam decisão de ma...
17.05.18 10:39 Banco Central mantém taxa básica de juros em 6,5% ao ano
16.05.18 10:15 Atividade econômica tem queda de 0,13% no pr...
 
Anterior [1/1079] Próximo
Copyright © Vida Econômica - É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Power by Sistema agencianaweb.com.br