4-0-3
 
 
Página Inicial  

Pesquisar pelo Site:

Oriente-se
Empresas
Imóveis
Turismo
 
 



 

Percentual de famílias com dívidas sobe pela primeira vez no ano


O percentual das famílias endividadas no Brasil cresceu 1 ponto em julho, quando passou de 58,6% para 59,6% de junho para julho. Foi a primeira alta do ano. Os dados constam da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Apesar da alta entre junho e julho, o indicador fechou em queda na comparação anual porque, em julho do ano passado, ele atingiu 60,2% - índice 0,6 ponto percentual menor.

A avaliação da economista da CNC Marianne Hanson, é que “o crescimento de junho para julho no percentual de famílias endividadas foi pontual, uma vez que o indicador permaneceu em patamar inferior ao do ano passado, refletindo ritmo menor de recuperação do consumo das famílias e maior cautela na contratação de novos empréstimos e financiamentos”.

Contas ou dívidas em atraso

O estudo da CNC mostra que o percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso ficou estável entre os meses de junho e julho deste ano, mais caiu em relação a junho do ano passado.

Tanto em junho quanto em julho, a proporção das famílias com dívidas ou contas em atraso ficou em 23,7%. Mas, quando a comparação se dá com julho do ano passado, o percentual de famílias inadimplentes caiu 1,8 ponto percentual. Em julho de 2017, o indicador havia alcançado 25,5% do total das famílias.

Já o percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes também ficou estável em 9,4% entre junho e julho de 2018, apresentando queda em relação aos 9,9% de julho do ano passado.

Mais uma vez, o cartão de crédito aparece como principal tipo de dívida, respondendo por 77,7% das dívidas das famílias entrevistadas. Em seguida, vêm os carnês (13,9%) e, em terceiro lugar, o financiamento de carro (10,6%).

Nível e prazo de endividamento

O estudo da CNC mostra que a proporção das famílias que se declararam muito endividadas apresentou um pequeno aumento em relação a junho, passando de 13,0% para 13,2% do total de entrevistadas. Já na comparação anual, também houve queda: 1,4 ponto percentual.

Quando os economistas da CNC comparam julho do ano passado com julho deste ano, a parcela das famílias que declarou estar mais ou menos endividada passou de 22,2% para 22,6%, e a parcela pouco endividada foi de 23,4% para 23,8% do total.

A Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic Nacional) é apurada mensalmente pela CNC desde janeiro de 2010. Os dados são coletados em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores.

Agência Brasil

02.08.18 17:19

Outras Notícias:  
13.12.18 17:47 Governo libera 100% de capital estrangeiro na...
13.12.18 17:43 CNI/Ibope: para 75% dos brasileiros, Bolsonar...
12.12.18 20:56 Copom mantém Selic em 6,5% ao ano pela sexta vez seguida
12.12.18 10:08 Inadimplência do consumidor cresce 6,03% em novembro
12.12.18 10:00 Moro: Congresso e Executivo não foram audacio...
10.12.18 19:26 Em diplomação, Bolsonaro pede confiança daque...
10.12.18 11:03 Mercado reduz estimativa de inflação pela sétima vez
10.12.18 10:58 Copom realiza última reunião do ano, com expe...
10.12.18 10:53 Ex-secretário de Alckmin será o ministro do Meio Ambiente
08.12.18 20:42 “Ninguém recebe ou dá dinheiro sujo com chequ...
 
Anterior [1/1114] Próximo
Copyright © Vida Econômica - É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Power by Sistema agencianaweb.com.br